Vem, anda comigo pelo planeta! Vamos sumir!!! Vitor Ramil

domingo, 23 de outubro de 2011

Não pare na pista...

Depois dos acontecimentos do último domingo (busão quebrado na excursão), comecei a pensar em todas as vezes que parei na estrada.
Amo viajar. Tenho muitas milhas andadas de ônibus... Isso pode contribuir para essa grande experiência na área de carros pifados...
Quando falo em muitas milhas computo as vindas a Pelotas, para treinar futebol, desde os 10 anos, 2, 3 vezes por semana... Aos 12 somam-se a elas as aulas de desenho. E contando as viagens extras: torneios de fim de semana, Jergs, Jirgs... Posso colocar também as excursões da vila Fiss e as de todo final de ano: São Lourenço, Rio Grande, Serra Gaúcha, Porto Alegre, Torres... Também viagens de férias: Curitiba, Campo Grande MS, Rio de Janeiro RJ, tudo de ônibus...
Quando eu nem ia na escola ainda, participei de um passeio da Escola Padre Bucker. Não sei para onde fomos (será que foi a vez que a tia Rute queria dizer que eu tinha menos idade do que realmente tinha para não pagar a balça em São José do Norte?) e quando estávamos voltando, na BR 392, perto da Embrapa, estourou um pneu e furou o chão do ônibus bem nos pés de uns passageiros. Aquele susto. Lembro de ficar parada na beira da estrada, nada mais que isso. Mais ou menos no mesmo lugar onde um Kopereck ficou sem combustível, na linha, horário das 5, ano passado ou retrasado...
Um estrago, esse até certo ponto bom, pela companhia e pelo que tínhamos em mão, foi voltando de Camaquã, Kartoffel havia feito a pre-eliminar no jogo da Seleção do Morro, estávamos no ônibus dos jogadores, quase na entrada de São Lourenço pifou o Taty (quase certeza de que era um Taty)... Estava com todas melhores amigas e tínhamos comprado um garrafão de vinho antes de sair de Camaquã... Não lembro (obviamente) como saímos de lá... Hehe!
Outro estrago bom foi em um Bürkle (os belos ônibus que a UFPel cedia para os alunos) voltando de um encontro da ABEM em Santa Maria. Parou perto do trevo de Caçapava do Sul, todos os passageiros estudantes ou professores de Música. Acabamos chegando em um posto, que tinha um restaurante, que era um salão de baile, que tinha uma bateria montada, aparelhagem de voz... Cara, foi muito legal! Tocamos um pouco ali, e depois foi para o acústico, com todo mundo cantando... Um outro Bürkle saiu de Pelotas e foi nos buscar. Nem demorou.
Bom, entre tantas outras, tem uma que me deixou mais apreensiva.
Voltava de um encontro da ABEM em Campo Grande MS, com minhas colegas Daiane e Valéria, em um ônibus de linha da empresa Ouro e Prata. Logo depois da divisa de SC com RS, mais ou menos perto de Nonoai o ônibus parou. De noite, em uma rua, chovendo... Ai, ai... Foi um momento de aproximação com os outros passageiros, mas estar sozinha, parada no meio do nada, longe de casa, não é legal... Resultado: estava passando um outro ônibus, cujo motorista já havia trabalhado na Ouro e Prata, era conhecido do nosso motorista, e ele nos deu uma "carona" até Passo Fundo (foi loooongo!). Detalhe: a carona que pegamos foi em um ônibus nada de leito, que havia carregando um time de futebol por uma semana, com aquele cheirinho agradável... Enfim, chegamos em Passo Fundo sãos e salvos, com nossas malas, e fomos até Porto Alegre em um Super Leito, super confortável! :D

Essas foras as TOPs paradas na estrada. Aos poucos vou me lembrando de outras... Nem falei da de domingo! Podia incluir carro estragado. Daí a lista fica imensa! Os 4 pneus furados a caminho de Curitiba... Um dia, quem sabe, eu conto essas e outras...

4 comentários:

Rutinha disse...

Minha cota de vinho de garrafão,já deu...prefiro carro,pneu novos...ou vou de ônibus...EH!ah!eh!
NOVO

Mas isso tb não quer dizer
Talvez a sorte????????????

Ana Lucia Azambuja disse...

bah... e essa do ônibus quebrado na volta da ABEM de Santa Maria eu tava junto... aff!!!!

Josi Brahm disse...

Eu lembro do pneu estourado na volta da excursão a Rio Grande, foi no banco da frente ou do lado do que eu tava, eu lembro bem do barulho e da paeira que se formou no onibus...
Mas essas são lembranças que vem se somar com as boas e fazem a gente pensar nos bons momentos vividos...

Rutinha disse...

Oi Josi....achei q o pai e o filho tinha caído pra baixo!!!!Q sustão!