Vem, anda comigo pelo planeta! Vamos sumir!!! Vitor Ramil

sábado, 29 de dezembro de 2012

O causo do umbigo...

Sabe aquela mania que se tinha antigamente de guardar o umbigo das crianças?
(espero que saibam, que isso não era só aqui em casa, se não o causo vai parecer ainda mais maluco do que é)
Minha mãe, como boa pomerana, crente de algumas crenças (essa ficou bonita), guardava o meu umbigo. O da Valéria não sei que fim deu, ou se estava junto, o fato é que, cresci sabendo que meu umbigo estava num vidrinho que ficava dentro de uma caixa na estante do quartinho, e mais recentemente, em algum lugar do porão...
Há um tempinho atrás, não sei se coisa de um ano, mais ou menos, minha mãe resolveu jogar o tal umbigo no arroio... E levou junto lá pro Grupelli e por lá se desfez daquela parte de mim.

Bom, menis um vidrinho dentro de uma caixa ocupando algum lugar nessa casa que tem muitas coisas.

Mas a melhor aconteceu esses dias, quando minha mãe, preocupada que eu não vinha tanto pro Morro largou a pérola:
"foi só jogar o umbigo no arroio que essa guria se soltou pro mundo"!

:P

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Sabedoria da Taís II

Era dia 22, 23 de dezembro, estávamos eu, pai, a mãe, a vó, sentados na sala aqui de casa e chegaram a Valéria e a Taís. Esta última num dia de extrema inspiração, fez tudo o que não devia, todos nós tentamos chamar sua atenção, naquela tentativa de educar, de fazer pensar.
A Valéria, depois de um tempo, resolveu ir embora, e a Taís, fazendo suas traquinagens de criança, ia saindo pela porta agarrada pelo braço, sendo puxada pela mãe, quando ouviu o alerta da vó Rutinha: "Cuidado, Jesus tá vendo tudo isso aí"!
E eis que a Taisinha responde, com cara indignada:
"Humpf, Ele nem nasceu ainda"!!!

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Sabedoria

A Taís, 6 anos, estava em uma festa de igreja, festa de adultos, dentro de um salão, pessoas escutando outras pessoas que faziam leituras, contavam coisas, cantavam. Daqui a pouco ela puxou a vó e disse: "vamos lá na rua, preciso desabafar"...
A vó, assustada com a atitude da criança, pensou: "Ela não é mesmo normal, 6 anos e quer desabafar". E saiu com a menina em direção ao ar puro...
Quando chegaram na rua a Taís falou: "bem melhor aqui. Lá dentro está muito abafado"!!!!

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Infância

Fazer da terça um sábado
Pedalar num chão de terra
O sorriso de ver a margarida
Num canteiro molhado da chuva
A paz do interior
A paz de voltar no tempo
Pequenos momentos, momentos leves
E a certeza de que a vida não ficará só nisso!

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

"Ouvir o silêncio pode ser fundamental"

Esse verso do grande poeta, maluco, perfeito, Marco Gottinari me chamou para a música A Semente e o Barro, e nunca mais parei de tê-la na cabeça...
De tão forte quis tocá-la com meus alunos. E chamar a atenção dele para o silêncio!
Definimos que, durante o canto dessa música, logo após a frase: "Às vezes ouvir o silêncio pode ser fundamental" nós ficaríamos em silêncio. E até sem movimentos! Uma brincadeira de estátua, que para eles requer grande concentração, pois até a vontade de rir é enorme...
Assim ensaiamos, e assim fizemos, ontem, pela primeira vez em público.
E qual não foi nossa surpresa???
Nosso público, tão alheio ao silêncio, não ouvia nada do que dizíamos (na verdade nem nós nos ouvíamos) achou que a música havia acabado ali (mal começara...) e, por puro respeito, quando nos viam parados, aplaudiram...
Acredito que meus alunos tenham entendido o que aconteceu durante toda apresentação.. O espaço era muito grande para o pouco som que tínhamos e grande parte do público não parou. Nós até que fizemos nossa parte...

Daí, nesse momento especial na minha vida, estava lendo essa semana algumas coisas do Rubem Alves (um cara que eu não conhecia muito e tinha certo preconceito (assim como tinha preconceito de artesanato) antes de conhecer a Mirela) e ele dizia: "É do silêncio que nasce o ouvir. Só posso ouvir a palavra se meus ruídos interiores forem silenciados. Só posso ouvir a verdade do outro se eu parar de tagarelar. Quem fala muito não ouve".
Perfeito, né?
Eu escuto tanta gente... Será que às vezes deveria falar? Algumas pessoas conseguem me escutar. Em alguns grupos de pessoas eu consigo falar... Aquela coisa de pertencimento que já escrevi aqui. Tem lugares que eu não me insiro de fato, daí não falo nada. Tem pessoas com quem eu consigo falar muito, sobre quase qualquer coisa... Tem dias que eu consigo falar... Tem dias que não. Mas ouvir (acho que por uma razão bem clara e óbvia para mim) é a minha principal qualidade, para a qual eu dou mais atenção...

Que possamos nos escutar por aí...

sábado, 22 de setembro de 2012

Fazer fogo...

O fogo sempre me encantou. Desde pequena gostava de sentar no banquinho branco (naquela época era branco), no cantinho da cozinha, abrir a porta do fogão e ficar mexendo no fogo. Pegava uma "talisca" e ficava empurrando as brasas, de um lado pro outro... Quando parava (geralmente por que a mãe mandava) estava com o rosto tri vermelho... Era bom, esquentava. Encantava.
Depois de ir morar em Pelotas (morar mais ou menos, né! Quase todo fim de semana estou aqui) o valor do fogão à lenha ficou mais claro. Nos dias de frio eu e a Carla ligávamos a estufa, mas lamentávamos a falta de um fogão... Eu pensando no calor e no barulhinho infinito da água quente, ela pensando no pinhão...
Nessa época comecei a ter o prazer de, quando vinha pro Morro, colocar um jaquetão, descer,pegar o machado, escolher a lenha perfeita e fazer a talisca... Encher o cesto de lenhas secas, catar um pouco de jornal e papelão no porão e subir. Sentar naquele mesmo banquinho (que agora ganhou algumas cores) e ficar ali, medindo o que colocar primeiro, qual talisca, qual lenha, qual pedacinho de papelão... E depois que o fogo meio que pegar, seguir abrindo a porta do fogão de 3 em 3 minutos, pra garantir o serviço perfeito... E como é bom ouvir a primeira chiada da chaleira...
Pensando, hoje, fazer o fogo me parece um exercício de paciência. Não para quem faz isso naturalmente, enquanto faz o trabalho da manhã, todos os dias. Mas para mim é quase um ritual... 
Mãe, tu jogando álcool sem para no fogão me fez pensar isso... :) Um pouco de calma (para quem tem tempo) sempre é bom! 
Hehehe

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Bonito

Coisa boa um dia de folga!
Coisa boa tu aproveitar o dia anterior sabendo de sua folga.
Trabalho bom, leve, chimarrão, futebol, boas companhias, muitas risadas, alongar um pouco mais a noite sem pressa de "pegar o ônibus"... Deixar-se...
E daí, quando chega o tal dia da folga, acordar por conta, bem cedinho, com a cara cansada ainda, mas tri feliz. E perceber que o sol está brilhando forte e o céu todinho azul depois de tantos dias cinzas...
Tudo bem, já estou começando a aprender a admirar o cinza (nova cor do Passabola também), dias de chuva (ou noites) mansa me deixam bem, mas o sol... Sem comparações!
(Fazem dois anos daquele domingo de nada. Mas esse ano, para mim o agosto foi bem diferente. Sei que tem pessoas de quem eu conheço bastante que nunca vão se esquecer dessa data...)

E o setembro vem cheio de promessas de felicidade!

Ah, ainda tem hoje e amanhã!

"Quando entrar setembro e a boa nova andar pelos campos"
"Nem passar agosto esperando setembro"

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Muita coisa!!!

Tô cheia de histórias na cabeça!
Um montão de coisa pra contar aqui que até já sei mais ou menos como... Tá me faltando um pouquinho de tempo e calma para sentar e tentar escrever! Espero que em breve, para que eu não esqueça os detalhes...

Observações das fisionomias dos transeuntes.
Pedestres, carros, motoristas, espaços.
Como ser roubada voluntariamente.
Como se desesperar para pegar um dinheiro numa conta que não é sua (levando em consideração a possibilidade de ser novamente roubada de forma voluntária).

Estes serão alguns títulos publicados nos próximos dias.

Aguardem!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Universo...

O universo conspira em favor de alguém?


Que louca essa mania de achar que tudo o que acontece pode ter sido influenciado por mim...
Desde os resultados no esporte, aos dias que eu quero chuva ou sol, de saber como ganhar, de não se importar em perder, de querer um bom momento, até as músicas que tocam por aí... Por quem elas tocam?

Que louca essa mania de achar que tudo o que acontece pode ter sido influenciado por mim...

Poder de pensamento?
Ou existem mesmo universos paralelos e temos realmente esse poder? Tudo está acontecendo em todo momento, nós escolhemos...
Gosto de pensar assim. E tenho medo por isso. Seria (ou é) responsabilidade demais, não?

Sorte e azar, não deveria acreditar nelas, talvez acredite em outros termos, num sentido próximo...

Que louca essa mania de achar que tudo o que acontece pode ter sido influenciado por mim...

P.S.: mãe, não te apavora, não estou fumando maconha!!! Só umas ideias mesmo... Hihihihihi

domingo, 12 de agosto de 2012

Sem palavras!

E às vezes sem atitudes!
Estranho quando não se conhece a situação...
Pode ser bom... Não dá pra prever...

Tão bom ver os amigos bem!
O Nilms definiu bem a situação. Fico feliz por tudo isso.
Sem palavras!

sábado, 11 de agosto de 2012

Brigar?

Coisa que me dá um sentimento ruim é brigar com alguém. Dá um vazio no "osso" do peito... Um triste, um ruim...
Pior que na maioria das vezes a "briga" nem é uma briga, é apenas uma alteração de voz com opiniões distintas... 
Pena que às vezes uma coisa boa pode acabar por conta dessas opiniões distintas acompanhadas por falta de percepção da necessidade de ceder. Ah, é tão mais fácil chegar a conclusão de que o outro é que errou...
Talvez a gente perceba que está crescendo quando consegue administrar essas situações. Não sei.
O que é bom é quando isso não passa de alguns instantes, e logo a coisa boa volta à tona, com todo mundo de bem!
Aquele vazio no peito ainda fica. Agora de medo de ter perdido algo importante, ainda que por pequenos instantes...
Gosto de pensar na ideia de que só "brigo" com gente que gosto porque sua opinião tem valor pra mim. Se é alguém que não me agrada, tanto faz, recolho-me.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Eu não quero super poderes...

Uma semana de filosofia, estética, música e educação musical nos faz pensar. Aliás, é um exercício de pensamento contínuo... As risadas, observações, piadas e músicas que fizemos são exercícios contínuos de criatividade. Criatividade e pensamentos instantâneos, em todo momento. Bom. Ao extremo.
Que super poder eu gostaria de ter? Nenhum. Tudo o que eu tenho me serve...
O que eu tenho que mais me agrada? Penso agora que seja o prazer da conversa. De conhecer alguém pelas palavras. De trocar palavras com quem nem se conhece. De sorrir e perceber o que o outro diz. De mudar de opinião sobre alguém ao se conversar. Conversar pra ver, perceber, conhecer.
Ouvir e dizer. Adoro!

domingo, 1 de julho de 2012

Ando só!

http://www.youtube.com/watch?v=sohIOjz3YM0

Adoro tanto essa música!

Acho que ela diz bastante de mim!

Adoro andar só! Não ter a sensação de alguém me perseguindo, estando sempre no mesmo lugar que eu... Parece que preciso de espaços diferentes, com gente diferente. Não sei se pra ser igual, ou de cada jeito... Amigos fazendo 50 anos, amigos que ainda estão na escola, estudando... Não sempre os mesmos... Acho que isso me torna bem superficial, mas me cansa ter que contar tudo pra alguém... Adoro fazer coisas que só eu sei que fiz. Adoro viajar sozinha. É um ótimo pretexto para novas amizades e não precisar dar satisfação a ninguém mais além da minha mãe... E ao mesmo tempo, tão confusa que sou, adoro reencontrar gente que eu adoro! Amigos do futebol, amigos da música, amigos da faculdade, amigos primos, da família, amigos amigos! É tão bom ter que contar tudo pra eles! Saber de tudo o que acontece, que acontece com suas famílias...
Talvez devam ser momentos. Momentos de estar junto, soar em uníssono, momentos estéticos... E, talvez principalmente, momentos de estar só, de me ouvir, de descobrir...

"Às vezes faço planos, às vezes quero ir, pra algum país distante, voltar a ser feliz... Dizem que a solidão até que me cai bem" (eu digo!)

http://www.youtube.com/watch?v=7lqGVpm10xg

sábado, 30 de junho de 2012

Lugares

"Eu ando pelo mundo prestando atenção em cores que eu não sei o nome"

Andar. Viajar. Olhar. Escutar. Observar.
Observar e absorver lugares e sentimentos. Emoções.
Cada qual a sua maneira.
Da minha maneira em cada qual.
Louca. Quieta. Música. Silêncio. Professora. Jogadora.
Depende do lugar.
De mim, de acordo com o lugar.
Do lugar em relação a mim.
Sou sempre eu mesmo?
Rio sempre das mesmas coisa?
Ajo da mesma maneira?
Não.
Bom ou ruim?
Não faço a mínima ideia.
Gosto de andar por diferentes lugares. Das sensações que tenho em alguns. Gosto de nunca mais voltar em uns. Não abandono outros.
Lugares e eu...
Vai saber.

terça-feira, 19 de junho de 2012

Elogios...

Como é bom receber um elogio, né?Estava no super, peguei duas caixas de leite e segui comprando. Lá no meio das compras encontrei outro leite, mais barato. Peguei duas caixinhas desse e segui comprando. Quando passei naquelas maquininhas confirmei qual leite estava mais barato, e voltei até o primeiro lugar e larguei as duas caixas no lugar onde eu havia tirado.Fui pro caixa e quando estava pagando a mulher que estava logo atrás de mim na fila disse: Moça, eu queria te dar os parabéns, eu vi tu colocando o leite no lugar. Tem tanta gente que deixa tudo em qualquer lugar até coisa que estraga...Fiquei tri faceira! Agradeci. Depois fiquei pensando...Não deveria ser elogio, deveria ser normal...Na reunião da escola (outra, não a mesma) a mensagem dizia que tudo o que a gente deve aprender na escola a gente aprende no pré. Entre outras coisas importantes estava o " colocar no lugar tudo o que pegamos"... Tão óbvio... E aí conversamos lá no colégio, levando isso para todas as coisas, inclusive o dinheiro que políticos pegam por aí...Não é meu costume sempre devolver no lugar quando desisto de comprar uma coisa no super... Deveria ser. Não sei por que voltei vários corredores para fazer o certo... Mas valeu muito depois receber aquelo recadinho... E talvez essa valorização dos outros me ajude a tentar fazer o certo na próxima vez...Dica de hoje: procure fazer o certo. Se tirar, coloque de volta no lugar.Outra dica de hoje: elogie as pessoas que fazem o que tu considera bom.


http://pensador.uol.com.br/jardim_de_infancia_de_pedro_bial/

domingo, 17 de junho de 2012

:)

Feliz onde estou...
Uma vez recebemos uma mensagem na reunião da escola que terminava assim.
Agradeci por finalmente estar extremamente feliz onde estava. Quase sempre fiz o que sempre gostei e estive em lugares bons com pessoas legais. Mas em alguns momentos, por motivos pessoais talvez, não me senti bem onde estava. Tentei mudar até conseguir... Incrível como é essa nossa cabeça. Se temos a ideia fixa de que só mudando ficaremos bem, de fato não há outra opção. Por mais que nem esteja mais tão ruim onde estamos. Já não conseguimos nos aguentar nesse lugar. Mas quando a mudança acontece a felicidade é plena (ao menos por um tempo), e sabemos valorizá-la, pois era aquilo, e só aquilo que queríamos.
Espero que sexta eu possa comemorar a aposentadoria da mãe. Se não todos vamos pirar! 

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Fala!

"Nada por dizer,
Então eu escuto!"


http://www.youtube.com/watch?v=bAdlGZSaQRg

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Pertencimento

Engraçado...
Sentir-se bem em um grupo, pertencer, acreditar, querer estar junto, compartilhar alegrias, momentos, histórias, poesias e músicas... É tão bom! Pode ser um momento tão raro... Pode ser duradouro, mas pode passar... É estranho trocar cumplicidades com uma pessoas e depois com outras e aquela primeira de repente ir ficando distante... Talvez a vida seja mesmo isso... É estranho olhar nos olhos de alguém de quem sempre esteve ali e não saber se pode confiar... É estranho saber que muitos que sempre estiveram ao seu lado, só estão do seu lado por um tempo e nada mais... No fundo a gente sabe em quem confiar, quem valorizar... Mas sempre temos uma pontinha de esperança de que todos daquele grupo, daquele bando, da nossa gente sempre vão ser do bem e estar de boa com você... Mas o tempo passa e as coisas vão mudando (ou continuam sendo como sempre foram?), eu vou mudando e conhecendo mais gente, gente mais especial, pra sempre ou por um tempo.... Alguns ficam, alguns se transformam de bons em ruins e de ruins em maravilhosos, alguns aparecem... E a gente vai crescendo, cantando, jogando bola, conhecendo gente... Tem gente que a gente não esquece, mas se vê nem sempre quer ir dar oi e dar aquele abraço... Tem gente que passa esquecida, mas quando se vê dá aquela alegria... Fico feliz de ir mudando, indo de um lugar pra outro, de não ficar sempre na mesma, de, a meu ver, ir escolhendo as pessoas certas para me cercar... Fico feliz de ter algumas pessoas muito especiais, e outras nem tanto. Nunca foi meu propósito agradar a todos. Sempre foi fazer muitos amigos. Sempre foi estar realmente perto só daqueles que me acrescentam.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

O que é preciso para ser líder?

É preciso ser líder?


Assumir uma postura de líder pode ser interessante. É, de fato, muito interessante. Mas nada é de todo bom ou de todo ruim. Ser líder, ter o poder, ter seguidores, ter a prioridade de escolher que caminho seguir... Bom, parece bom. Ser líder, ter o poder, ter seguidores, ter a responsabilidade de escolher o caminho a seguir... Bah, parece assustador!!!
Será que nascemos determinados a ser líderes ou não?
Será que eu deveria ler algum livro de auto ajuda e confiança e parar por aqui essa potagem?

Sei lá, algumas coisas me vem e vão na cabeça. Essa questão da liderança sempre é uma delas. Por que quem não é o líder sempre se acha no direito de reclamar e apontar os defeitos? Não abre os olhos e nem se coloca no lugar do outro? Ah, as pessoas às vezes enxergam tão pouco...
Ou, por que toda liderança tende a parecer autoritária? Será o poder do poder?
E se essa liderança dá certo, mais pessoas querem destruí-la...
As pessoas são complicadas...

Gosto e não gosto de ser líder. Já gostei mais. Mas é tão mais fácil ficar na moita, no muro, não dar a cara a tapa, não mostrar o quanto pode render para não ser exigido...
Gosto de ser líder jogando bola. Coordenar, falar, transmitir e demonstrar garra. Mas não gosto que dependam só de mim.
Não gosto de ser líder para jogos de bola, mas do lado de fora... É muito complicado trabalhar com pessoas. Quem não faz sempre acha que faria melhor...

Gosto de ver, acompanhar, apoiar, estar junto com boas lideranças. Pessoas fortes e sábias são as que eu mais admiro! Só não sei se eu sei realmente identificar elas no meio de tantas e tão diferentes lideranças...

Gosto de ver nascer novos (ou projetos de novos) líderes. Ver uma criança que é respeitada desde de sempre. Gosto de ver o comportamento dessa criança, as atitudes que têm diante esse "poder" que possui... Gosto de tentar ajudar uma criança que não tem essa liderança natural a crescer e se acreditar...
Gosto e tenho medo de trabalhar com pessoas!

Não é um fim de escrita. Mas quero parar por aqui. Uma postagem meio sem pé nem cabeça. Com um monte coisa por dizer... E um milhão mais por pensar.

"Esta provado que só é possível filosofar em alemão"

sábado, 31 de março de 2012

Amigos e estudos

Quando fiz o curso de música - licenciatura fiz muitas amizades. Duas ganharam destaque: Valéria e Daiane. Até hoje mantemos um contato e quando conseguimos estamos reunidas para comer uma pizza!
Conversávamos bastante, sempre se tinha história para contar, mas as gurias eram super certinhas (coisa que eu achei que não encontraria na faculdade de música...), sempre respeitamos o momento de falar e o momento de ouvir, e sempre participamos do que o professor propunha na aula.
Já na ESEF eu geralmente estava "perdida", sem turma. Na turma da Thaís, Manú e Tamires, rolou uma amizade muito legal, regada por futebol, mas que se estendeu para quase toda a turma, mas eu acabei fazendo poucas cadeiras com eles (mas adorei o confiança que me passaram ao convidar para cantar na formatura...).
No mais, sempre fazia ligeiras amizades, que me ajudavam nos trabalhos em grupo, mas ficava na maioria das vezes livre, com todo o momento de aula somente para a aula, sem trocar ideias com ninguém, nem ter com quem cochichar... Me acostumei assim.
Só que agora mudou um pouco! Rever velhos amigos, e agora na função de colegas, é diferente! Fazer Fisiologia sem poder comentar sobre futebol ou música com a Tininha, para não me perder na aula pode ser cruel. Tentar permanecer séria na ala de Primeiros Socorros, sem rir com a Dani, Maiara, Camila, ou conversar com o Nilmar e a Martina pode ser difícil...
Já havia me acostumado a ser só na faculdade. Acho que agora preciso retomar aquela postura de Bonfim, onde a turma de amigos sempre estava por perto, louca para conversar...

domingo, 18 de março de 2012

Ah, vou tocar violão...

"Quem tem a viola pra se acompanhar, não vive sozinho..."
"Quem me dera agora eu tivesse a viola pra cantar..."

Bom, vou ali tocar um pouquinho, né!!!!!

sexta-feira, 16 de março de 2012

Feliz

Conclusão no animado recreio da Garibaldi essa semana: "a Vitória que é feliz"!!!!
E sou!
O assunto lá era o salário dos professores (obviamente), mas de uma maneira leve. Claro que sabemos que não somos valorizados como deveríamos. Mas não acreditamos que nosso trabalho tenha que ser pior por esse motivo. Ou ficarmos de cara fechada por essa função de protestos da categoria. Estamos trabalhando, e bem.Mostrando que merecemos mais valor... E felizes todos, dentro do possível... Me classificaram como a "mais feliz" por ter a oportunidade de trabalhar somente 20 horas ( e aí entra o salário, se o professor pudesse sobreviver apenas com 20 horas em sala de aula seria de fato muito mais feliz, mais tempo pra casa, família, artesanato, jardim, estudos, preparação de aula... E não o massacre que vemos de trabalhar o dia todo em uma profissão desgastante física e mentalmente...). E eu levantei bem "feliz" com a cuia de chimarrão na mão e disse: sou tri feliz! Graças a minha mãe que me mandou largar as 20 horas de complementação e voltar a estudar...
E a conversa seguiu, até o sinal para o fim do recreio...
Sou feliz também pelo meu trabalho. Estou gostando muito de ser professora. Música e projeto extra-classe combinam muito bem. No meu ver, a melhor combinação!
Sou feliz por ter tempo para fazer minha prática no Método DeRose, tocar flauta doce na faculdade, jogar sinuca com as amigas, planejar campeonatos e sonhar com títulos no futebol...
Feliz pelo trabalho com música e pelo lazer e estudo com os esportes... Espero que a mãe me garanta por mais um tempo, ou que os salários aumentem e eu possa viver bem trabalhando na escola 20 horas...

domingo, 11 de março de 2012

Duas!

Ih... Lá se vai uns mil anos luz desde a última escrita... Será que não tenho assunto??? Não. Foram tempos de muitos pensamentos... Mas de muito trabalho também...
Viajei para o exterior. Conheci o Pacífico. Toquei Piaf com franceses cantando. Participei de cantos de candomblé. Vi os andes. Comprei um cajón lindo. Perdi um campeonato na distância...
Coisas boas e ruins. Dizem que a vida é assim. Não sei se pelo nome que o meu pai me deu (que é lindo, né, mãe??) que eu não aprendi a perder, por isso chegar em segundo me entristece tanto. Foi uma opção. Teve um dia em minha vida que optei pela música para ganhar dinheiro. Ela é a primeira coisa. O futebol é só uma paixão. E realmente eu acredito que a música sempre me levou e sempre me levará mais longe que o futebol... Mas paixão, sabe como é... Fiquei tri feliz de ver a festa que minhas parceiras de time fizeram pra mim. Fiquei tri feliz de ter conhecido o povo do Abambaé e ter levado a cultura brasileira tão longe. Quero poder fazer tudo, e não escolher!
Ah, a vida vale muito a pena...

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Ma bah!

Medo de escrever aqui tanto tempo depois.
Mas essas férias foram tão férias que nem assunto para escrever no blog eu pensei!
E olha que aconteceu um montão de coisa digna de ser escrita, mas a cabeça só queria viver o momento, sem teorizar...
Agora tô de volta. Pode ser que aos poucos as ideias de escritas venham surgindo. Pode ser que até acontecimentos das férias venham na memória e acabem aqui no blog...
Até logo (assim espero!!!).